Oeiras, mais à frente ou mais atrás?


Passados 8 dias aqui estamos a fazer o balanço das autárquicas de Oeiras: o IOMAF conseguiu a Presidência da Câmara Municipal, no total de 5 mandatos, o PSD, 3 mandatos, o PS 2 e a CDU 1. Todos tiveram menos votos, mesmo Paulo Vistas teve menos 10.000 votos que Isaltino Morais em 2009. Inverteram-se as posições entre PS e PSD.

Para a Assembleia Municipal o IOMAF conseguiu a maioria relativa, o mesmo se passando em 4 das 5 freguesias e uniões de freguesias. O PS, vencedor em Porto Salvo, também será obrigado a fazer aliança (s).

O Oeiras Mais Atrás disse, 3 dias, antes quem seria o novo presidente, fruto dos inquéritos que lançou, ainda que o último, com uma amostra demasiado pequena pudesse desvirtuar o resultado final. Pela reduzida dimensão da amostra decidimos somar os 2 inquéritos e encontrar a média, da qual resultou a vitória folgada de Paulo Vistas/IOMAF, ainda que da sua transformação em mandatos resultasse o mesmo número para o IOMAF e para PSD (4 cada). Quanto ao PS e CDU o resultado foi o esperado, ainda que o PS e o PSD lutassem até ao fim pelo 3.º vereador.

Nenhuma força política teve maioria em qualquer órgão, pelo que estamos expectantes quanto às alianças.

Na escola de S. Bruno, onde a autora destas linhas votou, deparamo-nos com alguns eleitores e eleitoras que perguntavam onde estava, no boletim de voto, «uma nova ambição», onde se votava no Dr. Moita Flores, no Moita Flores ou no «Moita». Não terá sido um erro de «casting» do PSD não ter aparecido nos boletins de voto com o mote da campanha «Uma Nova Ambição» seguido de PPD/PSD?

Não sabemos se Oeiras ficou mais à frente ou mais atrás. Achamos que nem uma coisa nem outra, Oeiras vai parar no tempo porque o Orçamento para 2014 vai ainda ser mais reduzido que o de 2013, o de 2015 será ainda mais reduzido que o de 2014. Cá estaremos para verem que o Oeiras Mais Atrás tem razão. E Paulo Vistas sabe que é assim.

O Presidente que vai ser eleito é…PAULO VISTAS!


Fechado o 2º inquérito sobre o sentido da votação dos leitores do Oeiras Mais Atrás é altura de o partilharmos convosco. A vitória é atribuída a Moita Flores (PPD/PSD). Não acreditamos nem deixamos de acreditar, cingimo-nos aos números: 26,6% para Paulo Vistas, 33,00% para Moita Flores, 11,00% para Marcos Sá.

No 1º inquérito o sentido de voto foi o seguinte: Paulo Vistas, 35,7%, Moita Flores 23,8%, Marcos Sá, 15,1%, Daniel Branco, 8,6%, correspondendo a 5 mandatos para o IOMAF, 3 mandatos para o PPD/PSD, 2 mandatos para o PS e um mandato para a CDU.

Somados os dois inquéritos temos: 32,5% (4 mandatos) para o IOMAF, 27,4% (4 mandatos) para o PPD/PSD, 13,4% (2 mandatos) para o PS e 7,2% (1 mandato) para a CDU.

Perante estes dados e apesar do enorme investimento e esforço feitos pela candidatura do PSD/Moita Flores, os oeirenses, como a generalidade do povo português, são muito avessos a mudança, pelo que vão escolher para presidente para os próximos 4 anos, PAULO César Casinhas da Silva VISTAS!

Poderá conferir os dados AQUI: Inquérito autárquicas Oeiras 2013

Os resultados do último inquérito foram estes:

Poll29913-page-001

Em quem vai votar?


Caros leitores do Oeiras Mais Atrás e eleitores de Oeiras: faltam pouco mais de 24 horas para encerrarmos este inquérito e divulgarmos o vosso sentido de voto na eleição para a Presidência da Câmara Municipal de Oeiras. Não desvalorizamos as eleições para a Assembleia Municipal, para as freguesias ou uniões de freguesias, todos sabemos que o que está em causa é a eleição do presidente da Câmara.

Quem vai ser o novo Presidente: Paulo Vistas (IOMAF), Marcos Sá (PS) ou Moita Flores (PSD)?

Teremos o prolongamento da dinastia Isaltínica ou teremos alguém que quer projetar Oeiras para o futuro, respeitando o passado mas introduzindo uma nova dinâmica? Há projetos que se esgotam, e o projeto do Dr. Isaltino Morais está esgotado.

Quem vai ser o novo Presidente: Paulo Vistas (IOMAF), Marcos Sá (PS) ou Moita Flores (PSD)?

Responda a este inquérito escolhendo o candidato que merecerá a sua preferência no próximo domingo.

Grosseria de funcionária municipal


Relembramos aos nossos leitores que, querendo, podem continuar a votar nos 2 inquéritos a decorrer. Aquele que consideramos mais importante «Em quem vai votar?» está disponível clicando AQUI.

O outro «Quem vai ganhar a eleição para a Presidência da Câmara Municipal de Oeiras?» pode ser acedido AQUI.

Da caixa do correio:

«No passado sábado pela manhã desloquei-me ao mercado de Oeiras na companhia da minha avó, cliente regular da peixeira D. Otília. Enquanto a minha avó estava a comprar peixe, fui ao sapateiro. Encontrava-me aqui quando ouvi uma grande algazarra: uma funcionária com a farda da câmara berrava (este é termo correto) com um colega que descarregava umas cadeiras de uma viatura. A ‘’senhora’’ que me disseram chamar-se Adelaide perguntou ao colega para quem eram as cadeiras, tendo este respondido que eram para o Dr. Paulo Vistas. A tal Adelaide respondeu em altos berros audíveis por outros clientes e comerciantes do mercado que então as podia descarregar, que se fossem para o gatuno do Moita Flores não as descarregava! O colega disse-lhe educadamente ainda que com a voz a ficar alterada que as cadeiras eram para o Dr. Paulo Vistas (presumo que para qualquer ato de campanha) e que se fossem para o Dr. Moita Flores, para o Dr. Marcos Sá ou para qualquer outro candidato as descarregaria, eram as instruções que tinha. E disse-lhe também que ela não deveria utilizar expressões atentatórias do bom nome do Dr. Moita Flores na via pública, quanto mais num espaço municipal. Por fim perguntou-lhe: ”E se o Dr. Moita Flores for o seu próximo patrão o que é vai fazer” Resposta de Adelaide: ”Ele não ganha, mas se ganhar vou-me embora da câmara.”

Seria conveniente que os superiores hierárquicos chamassem a atenção desta ‘’senhora” e lhe explicassem o que significa ”urbanidade”.

Carlos Alberto Rodrigues (Nova Oeiras)»

Comentário do Oeiras Mais Atrás: Exige-se de todas as pessoas civilizadas (?) o cumprimento do dever de urbanidade na sua relação com os outros. Por maiores razões, esse dever é exigido aos funcionários públicos, aos servidores públicos. Quem escolheu (ou foi escolhida) para trabalhar na administração pública tem de saber avaliar as consequências da sua postura: para o bem ou para o mal, a sua exposição é uma referência que gera comportamentos de imitação e que atinge todos os funcionários públicos, neste caso os funcionários da câmara municipal de Oeiras, por generalização do comportamento da referida Adelaide.

O dever de urbanidade não é um mero código de civilidade e etiqueta social. Fundamenta-se no respeito pelo valor da dignidade do ser humano. 

Inquérito: em quem vai votar?


Agora que o Tribunal Constitucional se pronunciou sobre a legalidade das candidaturas autárquicas, incluindo as várias candidaturas para a presidência da Câmara Municipal de Oeiras, desafiamos os leitores para votarem na pesquisa  de opinião sobre quem vai merecer o seu voto na eleição.

Apelamos a que apenas os eleitores de Oeiras respondam a este inquérito, para o mesmo ser o mais genuíno possível. Ao contrário do anterior em que se perguntava quem iria ganhar as eleições, em que era possível o votante acompanhar o desenrolar da votação, esta não está  visível, o que acontecerá apenas a partir das 12 horas do dia 26 de Setembro. Neste dia daremos a conhecer o provável novo (ou talvez não) Presidente da Câmara Municipal de Oeiras.

Este inquérito registará os IP’s, pelo que os votos repetidos serão contabilizados na margem de erro.

Votem. Mas só os leitores (e eleitores) que estão registados em Oeiras e que podem votar em Oeiras. Se trabalha em Oeiras, mora e vota, por exemplo, em São Marcos (Sintra), pedimos-lhe que se abstenha de votar, para que este inquérito seja o mais fiável possível.

Contamos consigo. Contamos convosco. Contamos com as centenas de leitores do Oeiras Mais Atrás.

INQUÉRITO OEIRAS MAIS ATRÁS

Os «vários quadrantes» que apoiam o IOMAF e Paulo Vistas


Em post anterior referimos os nomes de alguns apoiantes do IOMAF, que mudaram de Isaltino para Vistas e que sentem o cú a tremer só de pensar que Moita Flores ou Marcos Sá possam ganhar a presidência da câmara municipal de Oeiras. Dois dos nomes mais sonantes são Emanuel Martins e João Viegas, os pontas-de-lança verde-alface do PS oeirense.

Vamos dedicar-nos por agora a Emanuel Martins. Quem é esta sinistra personagem?

Segundo rezam as más-línguas é um dos ‘’filhos da viúva’’. Nas eleições autárquicas de 2005 apresentou-se ao eleitorado de Oeiras com Nova Ambição.

Emanuel Martins Nova Ambição

Disse raio e coriscos de Isaltino Morais, referindo os relatórios da IGAT, evidenciando que o princípio da legalidade fora sistematicamente atropelado pelo ex-autarca. Emanuel Martins referiu também que a área do urbanismo foi, ao longo dos três mandatos, sistematicamente da exclusividade de Isaltino Morais, com a finalidade de fazer bons negócios.

À «NOVA AMBIÇÃO» Emanuel Martins juntou o slogan «A Mudança Tranquila». Com o tempo percebeu-se qual a ‘’Nova Ambição’’ e qual a ‘’Mudança Tranquila’’: viabilizar a governação minoritária de Isaltino e do IOMAF, a troco da entrega do importante setor da Habitação social e da colocação de homens de mão, como João Viegas, em locais-chave da Câmara. Isaltino cedeu, Emanuel Martins ganhou. E ganhou também a presidência da administração do LEMO – Laboratório de Ensaios de Materiais de Obras que, como referimos, levou à falência, com um prejuízo que ultrapassará 1 milhão e 500 mil euros, a ser pago pelo contribuintes e munícipes de Oeiras.

Emanuel Martins ciente que o seu poder está a chegar ao fim foi ”a banhos”, refugiando-se na Colónia Balnear Infantil de “O SÉCULO”. Isaltino é amigo dos seus amigos e com o apoio de Carlos Carreiras e de outros «órfãos» colocou Emanuel nesta instituição.

Emanuel Martins é um dos «quadrantes» que apoia Paulo Vistas. Pudera. O que ele não sabe é que Moita Flores irá pedir uma auditoria ao LEMO e é bem provável que Emanuel Martins vá fazer companhia a Isaltino Morais na Carregueira ou tomar o seu lugar. Os indícios de peculato, abuso de poder, dolo e gestão danosa são tão evidentes, que dificilmente o LEMO e este administrador de meia tigela se safarão de uma investigação do DCIAP, IGF e Tribunal de Contas.

Emanuel Martins terá uma nova perspetiva de Oeiras vista de outro quadrante.