ISALTINO MORAIS, O CAIXEIRO VIAJANTE


O Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais, tem-se desdobrado em várias viagens no 1.º trimestre de 2013: a Cabo Verde, em Janeiro, a Moçambique, em Fevereiro, a Marrocos em Março. Nesta última, foi celebrado um projeto de acordo de geminação (mais um!) com Mohammedia.

Uma pergunta se impõe: o que há de comum entre Mohammedia e Oeiras?

Esperamos que Isaltino Morais esclareça os oeirenses, caso contrário é legítimo pensar que, a exemplo do que aconteceu com a viagem a Moçambique, tenha utilizado uma deslocação oficial para tratar de assuntos privados.

O que faz correr Isaltino Morais meses antes de abandonar a presidência da Câmara Municipal de Oeiras?

Depois de Marrocos, quem vem a seguir? A Líbia? A Tunísia? Angola? Guiné-Bissau? Timor?

 

ISALTINO MORAIS: VISITA A NEGÓCIOS PRIVADOS EM MOÇAMBIQUE À CUSTA DE VIAGENS PÚBLICAS?


«Messa Energia – Import e Export, Limitada

Certifico, para efeitos de publicação, que por escritura de vinte e oito de Novembro de dois mil e doze, exarada de folhas setenta e oito a folhas oitenta do livro de notas para escrituras diversas número vinte e quatro E, do Terceiro Cartório Notarial de Maputo, perante Fátima Juma Achá Baronet, licenciada em Direito e notaria em exercício no referido cartório, foi constituída por: Isaltino Afonso Morais, Fernando Manuel Rodrigues Gouveia, Sérgio José Mateus Ngoca, Natacha Morais e Emanuel Francisco dos Santos Rocha de Abreu Gonçalves, constituem entre si uma sociedade comercial por quotas de responsabilidade limitada.»

Começa, assim, a publicação no Boletim da República (de Moçambique), III SÉRIE – Número 4, de terça-feira, 15 de Janeiro de 2013.

Um mês depois, Isaltino Morais e Emanuel Francisco dos Santos Rocha de Abreu Gonçalves, seu adjunto, partem para uma viagem de 10 dias a Moçambique. Falta saber se Fernando Manuel Rodrigues Gouveia, dono da MRG e  parceiro da dupla Isaltino/Vistas nas Parcerias Público-Privadas de Oeiras, também foi na comitiva paga pelas finanças municipais, o que estamos a indagar.

Sérgio José Mateus Ngoca e Emanuel Francisco dos Santos Rocha de Abreu Gonçalves são os gerentes da sociedade. Vamos ficar atentos a futuras deslocações do adjunto de Isaltino Morais ao Maputo e a Inhambane, à custa do erário público.

Na altura em que escrevinhamos estas linhas sabemos que Isaltino Morais e a comitiva do Município de Oeiras ainda se encontram na capital moçambicana, sendo do nosso desconhecimento a data de regresso a Lisboa.

Para saciar a curiosidade dos oeirenses informamos que o Boletim da República nos foi remetido por um funcionário da Autoridade Tributária de Moçambique, delegação de Inhambane, Patrício Marrumba, filho do Maputo,  pelos vistos (e não vistas) leitor do Oeiras Mais Atrás.

As perguntas que deixamos às centenas de leitores que sabemos ter dentro e fora de Oeiras são estas:

1. A viagem a Moçambique foi oficial ou para tratar de negócios privados?

2. Não é estranho, não é uma coincidência demasiado coincidente que a mesma se tenha realizado cerca de um mês depois da publicação oficial da constituição da MESSA ENERGIA, em que Isaltino Morais é sócio?

Que os vereadores, que os deputados municipais questionem estes factos e que o Presidente lhes responda. Sem rodeios. Sem ironias. Sem manobras de diversão. Sem arrogância. Com humildade.

008009001