Despedimentos nas empresas municipais


O Oeiras Mais Atrás fez-se representar na sessão de 10/12 da Assembleia Municipal. E o que ouviu vem desfazer o mito do IOMAF de que não haveria despedimentos nas empresas municipais. A deputada Isabel Sande e Castro colocou a questão ao Presidente Paulo Vistas e este confirmou que haverá despedimentos e até o encerramento de empresas.

A proposta que o ex-Presidente Isaltino Morais apresentou há mais de 1 ano e que aglutinaria na Oeiras Viva o LEMO, Habitágua e Parques Tejo era a melhor solução para o setor empresarial local e para a salvaguarda dos postos de trabalho. PS e PSD, demonstrando uma enorme cegueira política e social, pensando nas eleições e na possibilidade de nelas colocarem os seu homens e mulheres de mãos nos «tachos», reprovaram a proposta.

A haver despedimentos, o PSD e os vereadores Ricardo Rodrigues e Ricardo Pinho são co-responsáveis por esta tragédia social, nunca vivida no universo do Município de Oeiras.

Nesta altura o projeto de uma única empresa municipal centralizada na Oeiras Viva não parece ser recuperável, pelo que se impõe a extinção das empresas, de todas elas, e a (re) integração das suas atividades na Câmara Municipal de Oeiras.

Não faltará muito para que os trabalhadores comecem a suspirar pelo Presidente Isaltino Morais, caso Paulo Vistas não cumpra as promessas do seu antecessor, às quais se encontra vinculado.

Oeiras Mais à Frente ou Oeiras Mais Atrás?

Obras de reforço de muro do mercado de Queijas: onde pára o dinheiro?


Quem visita o mercado de Queijas e estaciona no parque exterior ou quem se desloca à PSP ou por ali passa deverá ter reparado que o muro de contenção, sobranceiro ao dito parque, apresenta uma fenda que tem vindo a aumentar de ano para ano, podendo causar danos nas pessoas e bens em caso de derrocada, nomeadamente em viaturas que ali possam estar estacionadas.

A Câmara Municipal de Oeiras foi várias vezes alertada pelo antigo presidente da junta de freguesia, Reis Luz, para o perigo que constitui a degradação do muro. Eleito pelo PSD para o mandato 1997/2001, afastado da recandidatura por Isaltino Morais, Reis Luz sempre se preocupou com a sua terra adotiva, sendo o principal impulsionador da criação da freguesia, da elevação a vila e, também, na linha da frente pela construção do centro de saúde.

A junta de freguesia, que tem como presidente Luís Lopes (IOMAF), gere o mercado e apenas se preocupa em receber as rendas das lojas, o resto que se lixe. O parque exterior é uma vergonha: quando chove fica transformado numa piscina.

Voltando ao muro, a Câmara entregou a sua reparação à empresa Quinagre – Construções, S.A., por ajuste direto, ao preço de 146.900,00€, para a mesma ser efectuada no prazo de 90 dias, contados a partir de 17 de Dezembro de 2010. Ao fim de quase 3 anos não há obra porque… a Quinagre faliu em Dezembro de 2011!

Pergunta-se:

A Quinagre não fez a obra e recebeu o dinheiro?

O dinheiro existe ou sumiu?

Se a Quinagre faliu e a necessidade da obra se mantém, por que não foi feita nova adjudicação?

O mínimo que se pode exigir é que o Presidente em exercício, Paulo Vistas, responda cabalmente a mais esta dúvida sobre a opacidade da governação municipal.

E não se esqueça de continuar a votar AQUI sobre quem vai receber o seu voto no dia 29/9.

Emanuel Martins e as ilegalidades das PPP de Oeiras


Conhecido em 5 de dezembro de 2012 o relatório do Tribunal de Contas sobre as Parcerias Público Privadas (PPP) de Oeiras, em que aponta claramente o dedo a Isaltino Morais, Paulo Vistas e Emanuel Martins, o homem do leme que levou o LEMO ao fundo, eis a resposta do actual balnear infantil:

«Votei a favor, confiei no trabalho feito pelos técnicos da autarquia.» Oh, Emanuel, tavas com os copos ou quê? O «finance project» passou ao lado dos técnicos da autarquia, foi tudo comprado fora!

«O caso remonta a 2007. Em causa estão as 17 infrações financeiras que foram detetadas num relatório do Tribunal de Contas (TC) a que a TSF teve acesso, nomeadamente, duas parcerias público-privadas (PPP) para construir o Centro de Congressos, o Centro de Formação, Estabelecimentos de Ensino e Centros Geriátricos no concelho.

Isaltino Morais e mais cerca de 50 autarcas da câmara e assembleia municipal de Oeiras foram considerados responsáveis por várias ilegalidades detetadas nestas duas PPP aprovadas pelo município em 2007 e 2008. A lista de autarcas considerados responsáveis é longa e as multas vão ser agora definidas numa acusação do Ministério Público.

Em declarações à TSF, o vereador socialista na câmara de Oeiras, Emanuel Martins, diz que ainda é cedo para julgar o caso, mas sublinha que votou em consciência e tendo por base o trabalho que os técnicos da câmara fizeram chegar aos vereadores.

O vereador socialista, candidato do PS nas próximas eleições autárquicas, entende que não havia ilegalidades e isso motivou o voto positivo aos projetos que considerou serem úteis para o concelho. Emanuel Martins não rejeita, no entanto, responsabilidades neste caso, mas diz estar tranquilo e a aguardar mais informações.

Na assembleia municipal de oeiras, Arnaldo Pereira, deputado eleito pela CDU, foi um dos que votou contra estas parcerias público-privadas (PPP). Arnaldo Pereira admite, no entanto, que alguns dos vereadores não tivessem total conhecimento do que estava em causa.» (TSF).

Por que é que Paulo Vistas e o IOMAF não falam das PPP e do custo que as mesmas representarão em breve para os munícipes?

CONTINUAR A FAZER, o quê? Cagadas como esta?

Por que é que Paulo Vistas não diz aos oeirenses como é que vai resolver este caso que ele próprio montou para «contornar» o endividamento municipal, caso sejan vencedor na eleição de 29/9?

Pensarão os oeirenses que há almoços grátis?

Parque Urbano Dr. Isaltino Morais


Prosseguem a ritmo acelerado as obras no pré-denominado Parque das Perdizes. São largas dezenas de trabalhadores da câmara municipal de Oeiras que ali trabalham diariamente, pelo que não se entende as razões que levaram à marcação da inauguração para 19 de julho, se muito havia a fazer e por fazer.

Louve-se a atitude do presidente em exercício, Dr. Paulo Vistas, que não se deixou enrolar pelo nomeado diretor municipal, Nuno Vasconcelos.

Que seja do conhecimento do Oeiras Mais Atrás nem Nuno Vasconcelos, nem Alexandre Lisboa, o chefe dos jardineiros, foram demitidos, o mínimo exigível para quem quis inaugurar um bocado de terra árida e designá-lo por «parque»

O Oeiras Mais Atrás referiu em post  anterior que não concorda com a designação de «Parque das Perdizes» pelas seguintes razões (entre outras):

A zona onde foi construído o Taguspark era habitat de centenas perdizes; ainda hoje, teimosamente, algumas persistem em residir, e o complexo não recebeu a denominação de Perdizes Park;

Somos críticos de Isaltino Morais; foi, tal como o Marquês de Pombal, cuja obra ele tanto exalta, um visionário e com os erros naturais de um ser humano em que as suas virtudes suplantam os seus defeitos (erros).

Tendo o Dr. Paulo Vistas, presidente em exercício, tido a coragem de incluir o Dr. Isaltino Morais na lista à assembleia municipal de Oeiras pela candidatura IOMAF, a melhor homenagem que se lhe pode prestar é atribuir ao dito parque o nome de PARQUE URBANO DR. ISALTINO MORAIS!

Câmara de Oeiras: conheça os putativos candidatos IOMAF à Assembleia Municipal


O Oeiras Mais Atrás deparou-se com a seguinte mensagem na sua caixa de correio e partilha-a com os seus leitores. Não conseguimos autenticá-la, será proveniente do fugitivo Edward Snowden, antigo agente e analista da CIA e da NSA. Pela origem, terá sido remetida do Aeroporto Internacional de Sheremetyevo, onde se encontrará barrado há mais de 1 mês.

From: Edward Snowden [mailto:edwardsnowden@sheremetyevoairport.ru]
Sent: Tuesday, July, 23, 2013 16:35
To: oeirasmaisatras@facebook.com

Dear Oeiras Behind More, I am a follower of your blog, which was tagged as dangerous in the Company (CIA). Marked also was the movement known as IOMAF because they (the Company) think it would be an extension of the Mafia (follow the letters M.A.F.I.O). Indeed in Portugal you use the expression MANFIO. During my wiretaps I heard the names of the IOMAF Municipal Assembly candidates, namely:

Isaltino Afonso de Morais

Carlos Pereira da Cruz

João António de Araújo da Cunha Vale e Azevedo

Alberto João Ferreira Diniz

José Manuel Abrantes

Jorge Leitão Marques Ritto

Carlos Silvino da Silva (also called as Bibi)

Henrique Paulino Sotero

After my escape from Hong Kong no longer had access to new wiretaps, so do not know if these names are final.

From Moscow with consideration.

Best wishes.

Edward Snowden

(Former CIA agent & the most wanted)

TRADUÇÃO:

Caro Oeiras Mais Atrás, sou um seguidor do seu blog, que estava sinalizado como muito perigoso na Companhia (CIA). Sinalizado e escutado estava também o movimento conhecido como IOMAF por se pensar que seria uma extensão da Mafia (siga a letras M.A.F.I.O). Aliás em Portugal vocês utilizam a expressão MANFIO. Durante as minhas escutas tomei conhecimento dos nomes de candidatos do IOMAF à Assembleia Municipal de Oeiras, a saber:

Isaltino Afonso de Morais

Carlos Pereira da Cruz

João António de Araújo da Cunha Vale e Azevedo

João Alberto Ferreira Diniz

Manuel José Abrantes

Jorge Marques Leitão Ritto

Carlos Silvino da Silva (também conhecido como Bibi)

Henrique Paulino Sotero

Após a minha fuga de Hong Kong não mais tive acesso a novas escutas; por isso, não sei se estes nomes serão finais.

De Moscovo com consideração.

Os melhores cumprimentos.

Edward Snowden

(Antigo agente da CIA e o mais procurado)

António José Seguro preocupado com as escutas e afinal Oeiras é que está no Top.

A MARCA “ESTORIL” E A MARCA “CONDE DE OEIRAS”


Referimos aqui a negligência e incompetência de Carlos Carreiras, presidente não eleito de Cascais, na condução dos destinos do município, dando como exemplos os milhões gastos com propaganda manhosa e com a destruição da marca turística «ESTORIL».

Em Oeiras aconteceu o inverso: Isaltino Morais ressuscitou o Vinho de Carcavelos, sem qualquer apoio de Cascais, batizando-o com o nome de «Conde de Oeiras».

Faz confusão a muita gente a designação de Vinho de Carcavelos, freguesia de Cascais, quando o mesmo é produzido pela Câmara de Oeiras em terrenos na ex-Estação Agronómica Nacional. Ora, o que muita gente desconhece é que entre o século XVIII e o século XIX Carcavelos foi parte integrante do concelho de Oeiras.

A defesa da marca «Estoril» aliada à recuperação do vinho de Carcavelos com a designação de «Conde de Oeiras» seriam fatores de desenvolvimento económico para a região. O dinamismo e visão de Isaltino Morais mereciam que do lado de lá, a partir da fronteira de Carcavelos, houvesse outro presidente que não fosse Carlos Carreiras, coveiro e demagogo mor de Cascais.

Esperamos que o novo Presidente eleito nas próximas autárquicas trabalhe com o próximo Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Moita Flores ou Marcos Sá, para se ressuscitar a marca «Estoril», associando-a ao Vinho de Carcavelos “Conde de Oeiras”.

TRIBUNAL DE CONTAS NEGA VISTO A AJUSTE DIRETO PRÁ AMIGO


«Contratação de sociedade de advogados foi feita por ajuste directo com base na “confiança”, mas Tribunal de Contas contesta a opção»

Começa assim a notícia do jornal Público de 22 de maio. Vamos aos factos:

No dia 19 de dezembro de 2012 a Câmara Municipal de Oeiras decide contratar por ajuste direto a sociedade de advogados Paulo de Almeida & Associados pelo valor de 576.072,00 euros, argumentando que, para além do «vencedor» tinham sido convidados os seguintes escritórios:

Bas – Sociedade de Advogados, RL e Macedo Vitorino & Associados, RL.

Argumenta a Câmara Municipal – Isaltino Morais e Paulo Vistas – «que o convite e caderno de encargos foram enviados por correio eletrónico, tendo sido fixada para entrega de propostas o dia doze de novembro de dois mil e doze, pelas dezoito horas, e que no dia útil seguinte à data limite para apresentação das propostas, constatou-se ter sido rececionada apenas uma proposta, pertencente ao concorrente “Paulo de Almeida & Associados, RL”. »

A fundamentação para entregar de mão beijada quase 600 mil euros à Paulo de Almeida & Associados é que as outras duas – BAS e MACEDO VITORINO –  não responderam.

Mas alguém de bom senso acredita nisto?

Quem, nos tempos que correm, desperdiçaria mais de meio milhão de euros?

O que se terá passado é que as outras duas sociedades de advogados poderão ter sido aconselhadas a não concorrer. Se tivessem apresentado as suas propostas talvez o valor do ajuste ficasse por 400 ou 450 mil euros. Ou menos.

Desde 2009 até hoje a Câmara de Oeiras atribuiu a este escritório – Paulo de Almeida & Associados – ajustes diretos no montante de 1.264,156,90 (um milhão duzentos e sessenta e quatro mil cento e cinquenta e seis euros e noventa cêntimos, a que acresce IVA à taxa de 23%, totalizando 1.554.912,99 (um milhão quinhentos e cinquenta e quatro mil novecentos de doze euros e noventa e nove cêntimos) e o ano de 2013 está longe de terminar.

Por que é que à Paulo de Almeida & Associados têm sido atribuídos todos os grandes contratos de prestação de serviços de assessoria e consultadoria jurídicas?

Paulo de Almeida & Associados ajustes-page-001 

Há muito mais para investigar em Oeiras, Câmara, SMAS e empresas municipais. Ainda a procissão vai no adro.