As ascensões foguetórico-meteóricas


Ausentes em S. Tomé e Príncipe durante mais de 3 semanas, onde nos deslocamos em serviço profissional, que aproveitamos para visitar, entre outras localidades, o Distrito de Cantagalo e as suas infindáveis obras de abastecimento de água, vamos agora procurar pôr a escrita em dia.

Soubemos que houve eleições para a distrital do PSD de Lisboa, ganhas por Miguel Pinto Luz. Uma vitória folgada, com o se não de ter perdido em Oeiras, onde a lista de Pedro Rodrigues ganhou sem espinhas. Será o sinal de mudança em Oeiras e do qual temos feito eco?

Há 2 anos estivemos ao lado de Jorge Paulo Roque da Cunha contra Miguel Pinto Luz; este ano, devido à nossa são-tomense ausência não pudemos manifestar o nosso apoio público a Pedro Rodrigues, que não conhecemos pessoalmente, sabemos apenas que foi líder da JSD até 2010.

Sabemos também que no dia 22 de novembro vão decorrer eleições para o PSD Oeiras. Candidatos? Corre por aí que Ângelo Pereira é um dos candidatos. O Oeiras Mais Atrás vai aguardar para ver, ouvir e tomar posição se assim entender.

Fomos pondo a leitura em dia recorrendo também ao inevitável Facebook. As eleições para a distrital de Lisboa do PSD mereceram algum destaque, bem como os atos para algumas concelhias, Lisboa, Cascais e Odivelas. Chamou a nossa atenção um desabafo de um militante de Oeiras, Helder Sá, que, desiludido com os resultados de Lisboa, considera que mais tarde ou mais cedo sairá do PSD. Este desapontamento foi aproveitado pelo novo presidente da concelhia de Cascais, Nuno Piteira Lopes, para lhe desejar boa viagem e referir que já vai tarde.

O Oeiras Mais Atrás está-se defecando para desavenças entre militantes do PSD, a única coisa que pode dizer é «são laranjas, entendam-se», por mais amargas que sejam as de Oeiras, as de Cascais ou ambas.

Helder Sá é referido pelos seus adversários como tendo um feitio intragável, intratável, invergável e irrevogável, ao contrário daqueles que com ele lidam de mais perto, que lhe atribuem grande personalidade, que ousa enfrentar quem quer que seja e por mais poderoso que seja, na defesa das suas convicções. As suas postagens no FB e em blogues são bem sintomáticas.

Voltando ao Facebook e aos desabafos de Helder Sá, este lança um desafio aos seus leitores, questionando quem é (ou quem foi) nomeado diretor municipal aos 30 anos de idade. O Oeiras Mais Atrás como gosta de desafios e necessita de esquecer as horas menos agradáveis que passou quando saiu da cidade de S. Tomé para o interior do país, fez os seus contatos e pesquisas e descobriu pelo menos uma pessoa que aos 31 anos foi nomeada diretor municipal num município bem perto de nós. Aqui vai.

 NPL

Para uma melhor compreensão da competência do nomeado nada melhor que ler aqui os rasgados elogios que Carlos Carreiras lhe fez quando assumiu a presidência da Câmara de Cascais, em substituição de António Capucho, no seguimento daquilo que a imprensa relatou como «Carlos Carreiras ‘arruma a casa’». Como se pode ler, os desdobramentos que Carlos Carreiras fez dos pelouros que Capucho tinha entregue ao vereadores, foram o primeiro passo para a distribuição de «tachos, panelas e alguidares» na autarquia, a que se seguiram as «panelas, alguidares e tachos» na empresas municipais.

Começar de cima, sem ter passado por chefe de divisão, diretor de departamento ou chefe de secção, é realmente obra e só ao alcance de sobredotados (não façam um sorriso maroto, não nos referimos a sexo).

Como o euromilhões saiu em Espanha, não podemos reclamar os 10% oferecidos pelos desafiador.

O nosso agradecimento à leitora que, se afirmando como funcionária da Câmara Municipal de Cascais, nos enviou alguns elementos e que enriqueceram a nossa pesquisa. A sua identificação, incluindo o endereço de correio electrónico, serão sigilosos. Como sempre.

Anúncios

Dissecando a entrevista de Paulo Vistas ao «PÚBLICO»


Depois de termos dissecado a entrevista de Moita Flores, vamos agora fazer o mesmo com o presidente em exercício da Câmara Municipal de Oeiras, Paulo Vistas, confrontando-o com alguns lapsos, factos, dados e números.

Confrontado com a questão «Gostaria de ter contado com o apoio do PSD?» responde que «há muita gente PSD apoiante do meu movimento.» É verdade: se os militantes do PSD seguissem fielmente as diretrizes do Partido, Paulo Vistas contaria apenas com as franjas socialistas de Emanuel Martins e João Carlos Viegas e mais alguns ‘’expatriados’’ sociais.

À insinuação do jornalista «Alexandre Luz, director da campanha do PSD e número dois à câmara, esteve consigo até há pouco tempo…» Paulo Vistas responde: «Até finais de 2011, inícios de 2012. Vejo com algum espanto o PSD apresentar como mais-valia ter pessoas do nosso movimento.» Análise do Oeiras Mais Atrás: Alexandre Luz já era do PSD ainda o IOMAF estava nos colhões do Padre Inácio, pelo que a resposta correcta seria «o IOMAF existe à custa do PSD.»

Mais uma pergunta: «Mas acha que este movimento é genuinamente independente?» E mais uma resposta em forma de enguia, referindo que tem malta ex-CDS, ex-PCP, ex-PS, portanto é independente. Só não diz que, no caso dos ex-PS não são ex-, são militantes no ativo, que foram comprados com ‘’tachos’’ camarários: o Emanuel Martins recebeu o LEMO, onde terá metido alguns familiares, LEMO que levou à falência, pelo que vai ser extinto. O outro PS IOMAFiano é um tal João Viegas, com um ‘’tacho’’ na Habitação, onde não mete os pés (ainda anteontem e ontem a D. Feliciana Moreira, do Bairro de S. Marçal telefonou para o departamento para falar com o Sr. Viegas e o funcionário que atendeu, um tal Sr. João, lhe terá dito que o Sr. Viegas tinha saído…só que nunca mais voltou!)

Quando Paulo Vistas diz «vários quadrantes» são aqueles que vivem à custa do orçamento municipal, como Celso Cleto, a quem a Câmara “arrendou” o Auditório Eunice Munoz e depois lhe dá subsídios em forma de pagamento de publicidade (também os SMAS), o João Lagos (Sport) há muitos anos a chupar na teta da Câmara para o ‘’seu’’ Estoril Open/Portugal Open, Álvaro Covões (Optimus Alive), Eduardo Correia, a ’’chupar’’ na AITEC, Nuno Manalvo a chupar uma avença no gabinete da presidência e na AITEC, e a catrefada de avençados e avençadas que há no gabinete da Presidência!

Paulo Vistas afirma que «É por isso que em 2009 o eleitorado nos dá uma vitória ainda maior do que a que tivemos em 2005. Estou convencido que essa votação será reforçada agora.» É verdade, o IOMAF reforçou a votação e mandatos em 2009, mas não diz que Carlos Carreiras, para ajudar o IOMAF e os amigos que lá tem, impôs a tenrinha da Isabel Meireles, um autêntico petisco para o lambão Isaltino Morais!

Sobre a Tratolixo diz Paulo Vistas que a dívida «são cerca de 120, 130 milhões». Ai, que distraído que ele anda: à data de 31/12/2012 eram 194.351,674,00 (cento e noventa e milhões mais uns trocos), sendo que 131.031.176,00 (cento e trinta e um milhões e uns trocos) a um sindicato bancário composto pelo Santander Totta, CGD, Caixa BI e BPI, acrescidos de juros!

Muito pouco para quem quer ser presidente eleito e sufragado nas urnas.

A MARCA “ESTORIL” E A MARCA “CONDE DE OEIRAS”


Referimos aqui a negligência e incompetência de Carlos Carreiras, presidente não eleito de Cascais, na condução dos destinos do município, dando como exemplos os milhões gastos com propaganda manhosa e com a destruição da marca turística «ESTORIL».

Em Oeiras aconteceu o inverso: Isaltino Morais ressuscitou o Vinho de Carcavelos, sem qualquer apoio de Cascais, batizando-o com o nome de «Conde de Oeiras».

Faz confusão a muita gente a designação de Vinho de Carcavelos, freguesia de Cascais, quando o mesmo é produzido pela Câmara de Oeiras em terrenos na ex-Estação Agronómica Nacional. Ora, o que muita gente desconhece é que entre o século XVIII e o século XIX Carcavelos foi parte integrante do concelho de Oeiras.

A defesa da marca «Estoril» aliada à recuperação do vinho de Carcavelos com a designação de «Conde de Oeiras» seriam fatores de desenvolvimento económico para a região. O dinamismo e visão de Isaltino Morais mereciam que do lado de lá, a partir da fronteira de Carcavelos, houvesse outro presidente que não fosse Carlos Carreiras, coveiro e demagogo mor de Cascais.

Esperamos que o novo Presidente eleito nas próximas autárquicas trabalhe com o próximo Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Moita Flores ou Marcos Sá, para se ressuscitar a marca «Estoril», associando-a ao Vinho de Carcavelos “Conde de Oeiras”.

OS CRIMES DA LINHA DO ESTORIL


A chamada Linha do Estoril tem sido largamente prejudicada na última década, designadamente com a abertura do Casino Lisboa, no Parque das Nações, anteriormente previsto para o Parque Mayer. Assim, as receitas do jogo do Casino Estoril caíram drasticamente, com consequências negativamente significativas nas verbas a entregar aos municípios de Oeiras, Cascais, Sintra e Mafra. A desunião dos autarcas, com cada um a puxar para seu lado, permitiu que Durão Barroso e Santana Lopes lesassem a região turística da Costa do Estoril.

Depois apareceu um energúmeno chamado José Sócrates que extinguiu a Junta de Turismo da Costa do Estoril, que ao longo de um século tinha conseguido consolidar a marca «Estoril» além-fronteiras.

António Capucho, hábil e inteligentemente, criou uma empresa municipal a que foi dado o nome de Empresa de Turismo Estoril, procurando manter viva a marca. Até que há um ano atrás o presidente não eleito de Cascais, Carlos Carreiras, decidiu extinguir a empresa e a marca «Estoril», criando a empresa municipal Cascais Dinâmica, incorporando nela a Empresa de Turismo Estoril, a ArCascais, gestora do aeródromo de Tires e a Fortaleza de Cascais. Assim se matou, pela 2.ª vez, a conceituada marca “ESTORIL”.

Procurando fundamentar a extinção da marca «Estoril», Carlos Carreiras contratou mais uma empresa de comunicação, a Brandia Central, que abichou 75.900,00 euros, sendo que uma dessas contratações tem por base o «Desenvolvimento de um estudo da marca Estoril durante o periodo de 27/02 a 30/04/2012», como se a marca não estivesse devidamente consolidada no mercado!

Quem é que Carlos Carreiras contratou para «dinamizar» a nova Cascais Dinâmica? Nem mais, nem menos, que as empresas de comunicações LPM, BOSTON MEDIA e NEXTPOWER, todas do mesmo patrão, Luís Paixão Martins!

De Julho de 2008 a Fevereiro de 2013, a LPM, a BOSTON MEDIA e a NEXTPOWER foram principescamente pagas num total de UM MILHÃO SEISCENTOS E CINQUENTA E SETE MIL TREZENTOS E OITENTA E OITO EUROS E CATORZE CÊNTIMOS! E 2013 ainda não acabou!

Não se entendem estes gastos na promoção de uma nova marca, «Cascais», a não ser que tudo não passe de uma jogada subterrânea para, de forma clandestina, se pagar a campanha eleitoral de Carlos Carreiras que, dizem as línguas viperinas, está a ser conduzida pela LPM/BOSTON MEDIA/NEXTPOWER, as tais que mamam à grande e à portuguesa no orçamento de Cascais e das suas empresas municipais!

Esta atitude do ditadorzeco de Cascais – a aniquilação final da marca «ESTORIL» – comprova a sua inaptidão para o lugar de Presidente e, assim, o Oeiras Mais Atrás expressa a sua simpatia pela candidatura independente de Isabel Magalhães.

Abaixo os contratos celenbrados com LPM/BOSTON MEDIA/NEXTPOWER:

Entidades Preço Data
Cascais Dinâmica, E.M., S.A. 106.867,48 € 28-02-2013
Município de Cascais 30.000,00 € 20-12-2011
Município de Cascais 25.000,00 € 02-06-2010
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 48.446,40 € 22-07-2011
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 14.310,00 € 27-05-2011
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 97.561,00 € 18-04-2011
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 24.390,24 € 28-03-2011
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 8.130,08 € 16-03-2011
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 33.299,88 € 27-01-2011
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 79.056,60 € 21-01-2011
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 83.333,34 € 15-03-2010
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 100.000,00 € 15-03-2010
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 95.238,08 € 25-02-2010
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 36.999,97 € 17-02-2010
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 24.000,00 € 13-08-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 74.025,00 € 19-06-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 133.333,33 € 18-06-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 25.000,00 € 15-06-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 25.000,00 € 03-06-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 25.000,00 € 03-06-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 59.333,63 € 18-03-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 83.833,33 € 18-03-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 83.333,33 € 02-03-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 37.200,00 € 18-02-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 71.428,56 € 18-02-2009
ETE, Empresa de Turismo Estoril, E.M., S.A. 9.250,00 € 17-12-2008
ESUC – Empresa de Serviços Urbanos de Cascais, E.M. 22.000,00 € 03-11-2010
EMAC – Empresa de Ambiente de Cascais, E.M., S.A. 24.000,00 € 16-10-2012
Desenvolvimento Turístico da Costa do Estoril, E.M.  6.702,00 € 24-07-2008
Cascais Dinâmica, E.M., S.A. 171.315,89 € 07-06-2012
TOTAL 1.657.388,14 €  

*Cascais Dinâmica, incorporou a ETE – Empresa de Turismo Estoril

 

AS MÁFIAS, O TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS E A CORRUPÇÃO NO ESTADO E NAS AUTARQUIAS (I)


A vida política em Portugal transformou-se num antro de corrupção travestido de um clientelismo mafioso e de contornos multifacetados: maçonaria ou maçonarias, poder económico e tráfico de influências.

Quem se deu ao trabalho de criar uma micro ou pequena empresa comercial ou industrial – comunicação e imagem, oficina auto, loja de comércio, advocacia, técnico de contas – sabe as dificuldades que teve para angariar uma «carteira de clientes».

Ficamos abismados e revoltados quando nascem empresas que, de imediato, conseguem avultados contratos com o Governo, com as autarquias e o universo empresarial estatal e municipal.

Vem esta introdução a propósito do aparecimento da empresa NEXTPOWER – Comunicação e Imagem, Unipessoal, Lda., constituída no dia 29 de Julho de 2009, tendo como sócio a BOSTON MEDIA Comunicação e Imagem, SA e gerência de João Filipe Poças Paixão Martins. Passados alguns dias (30/10/2009) a Nextpower transforma-se em sociedade por quotas, detida pela BOSTON MEDIA em 4.500,00 euros e por RODRIGO MOITA DE DEUS, com a quota de 500,00 euros.

O que tem isto de anormal? Nada…a não ser que passados poucos meses conseguiu contratos com o Estado, municípios ou empresas do setor público estatal e municipal empresarial, perfazendo mais de UM MILHÃO DE EUROS em 3 anos e 1/2 contratos com a Câmara (Município de Cascais), com 3 empresas municipais de Cascais (DINÂMICA, EMAC e ESUC), com a Turismo do Alentejo (empresa pública), com a FCCN e com a Turismo do Porto e Norte de Portugal, entre outras!

Mas, ao mesmo tempo e na mesma data a BOSTON MEDIA conseguia outro contrato com a GAIANIMA (26-04-2013), e celebrava outro com a FUNDAÇÃO BRACARA AUGUSTA!

Mas como não há 2 sem 3, quando não «comem» a NEXTPOWER ou a BOSTON MEDIA, há sempre uma 3.ª para «mamar» na teta dos contribuintes, com o nome de LPM – Comunicação, SA, que conseguiu contratos no valor de 2.330.727,70 euros!

Dos elementos a que tivemos acesso, conclui-se que a DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DA COSTA DO ESTORIL, EM e a EMPRESA DE TURISMO ESTORIL, EM, empresas municipais de Cascais são grandes contribuidores, com quase um milhão e meio de euros para a Nextpower, Boston Media e LPM, todas dos mesmos donos!

Há muito que há um ataque desenfreado ao Estado, não sendo por acaso que Cascais, de Carlos Carreiras, apoiante de primeira hora de Pedro Passos Coelho, é grande amigo de Luís Paixão Martins (LPM) e João Paixão Martins (LPM, BOSTON e NEXTPOWER).

Voltaremos a este assunto em breve!

OEIRAS E CASCAIS, TÃO DIFERENTES E TÃO IGUAIS


Em Oeiras, o PSD esconde-se atrás do grená, de Moita Flores e de Uma Nova Ambição;

Em Cascais, Carlos Carreiras e o PSD escondem-se atrás da cor azul e do Movimento Viva Cascais, que de Movimento não tem nada, é uma coligação de partidos (PSD+CDS).

Aqueles que contribuíram para o descrédito do PSD e que têm uma considerável quota parte de responsabilidade na eleição de Passos Coelho, casos de Carlos Carreiras e Alexandre Luz, têm vergonha do PSD, escondendo-se, ardilosamente, atrás de cores e siglas que nada têm a ver com o PSD social democrata.

A supremacia de Carlos Carreiras, via Miguel Pinto Luz, sobre a concelhia do PSD de Oeiras continua, qual cordão umbilical que não pode ser cortado, sob pena de virem à luz do dia coisas que devem permanecer enterradas ou hibernadas.

O PSD de Oeiras é um protectorado do PSD de Cascais, corporizado pelo carreirista Carlos Carreiras.

A nova CatarinaO novo PedroViva Cascais

PEDRO AFONSO DE PAULO, VICE DE MOITA FLORES


Foi noticiado na tarde hoje que um dos secretários de Estado a sair do Governo seria Pedro Afonso de Paulo, responsável pelo Ambiente e Ordenamento do Território no Ministério tutelado por Assunção Cristas.

Fizemos alguns telefonemas e pudemos confirmar o seguinte: a saída de «PP», como é conhecido em Oeiras, não está relacionada com qualquer desentendimento com a Ministra, o objetivo é colocá-lo como nº 2 na lista do PSD Oeiras, encabeçada por Moita Flores.

Segundo a mesma fonte, terá sido Carlos Carreiras, de quem Pedro Afonso de Paulo foi Vice-Presidente da Distrital de Lisboa, que terá mexido os cordelinhos para promover a integração na lista de candidatos à vereação oeirense, com o beneplácito de Miguel Pinto Luz, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Cascais, ou seja, Vice-Presidente de Carlos Carreiras. Aliás, Carlos Carreiras nunca deixou de controlar a Distrital, assim como Isaltino Morais nunca deixou de controlar a Câmara de Oeiras quando foi para o Governo e esta ficou entregue a Teresa Zambujo.

Recorde-se que Pedro Paulo foi o nº 2 na lista PSD/Isabel Meirelles em 2009, sem nunca ter assumido o lugar, mantendo-se como administrador do grupo SAPEC, ao qual agora regressa.

Com esta aposta de Carreiras, Alexandre Luz é relegado para 4º lugar, Ângelo Pereira para 5º e Ricardo Lino para 7º, na lista que, a pouco e pouco se vai construindo. Contudo, a exemplo do que aconteceu em Santarém, não é de descartar a possibilidade Moita Flores incluir nos lugares elegíveis pessoas da sua confiança, ainda que não residindo em Oeiras, tanto mais que sabe as «linhas com que se cose», após as conversas que terá tido com Teresa Zambujo, Isabel Meirelles, José Eduardo Costa e outros antigos vereadores de Oeiras.

Pedro Afonso de Paulo é amigo de Isaltino Morais e de Paulo Vistas, pelo que esta jogada de enorme importância política vem confirmar o que escrevemos, ou seja, tudo se conjuga para que a próxima governação municipal seja UMA NOVA AMBIÇÃO MAIS À FRENTE ou MAIS À FRENTE UMA NOVA AMBIÇÃO.