ISALTINO MORAIS E O CASO TAGUSPARK


Notícia da edição online do jornal SOL, de 3 de Abril de 2013:

«O presidente da Câmara de Oeiras defendeu hoje em tribunal que o contrato entre Luís Figo e o Taguspark era benéfico para o parque tecnológico e só acabou por ter um impacto negativo devido à associação da imagem do antigo jogador à campanha de José Sócrates

Pergunta: o contrato seria tão benéfico quanto as PPP Oeiras Primus e OeirasExpo?

Resposta: a experiência diz-nos que os resultados obtidos seriam tão desastrosos quanto o das PPP, não no valor, muito inferior, mas pelo facto de não haver garantia de qualquer retorno.

Pergunta: qual o benefício para o Taguspark da imagem de um jogador nos últimos dias da sua carreira?

Resposta: Isaltino Morais, como é seu timbre, não quantifica os benefícios, limita-se a mandar uns bitaites.

«”Só uma mente doentia pode associar o pequeno-almoço de Luís Figo com Sócrates aos contratos [do ex-jogador] com o Taguspark”, defendeu Isaltino Morais. Criticou, assim, a decisão do Ministério Público de acusar por corrupção os ex-administradores do Taguspark, Rui Pedro Soares, João Carlos Silva e Américo Thomati, por causa dos contratos com Figo, que teriam como objectivo garantir o apoio do internacional português ao PS nas legislativas de 2009. »

Pergunta: Os negócios dos terrenos de Leceia para a construção do IPO – Instituto Português de Oncologia em que estará envolvido Duarte Lima (e mais alguém de Oeiras) também são fruto de uma mente doentia?

Resposta: Nada do que se passa em Oeiras em termos de negócios, sobretudo onde há capitais municipais, passa ao lado de Isaltino Morais. Isaltino, numa primeira fase, fez-se de otário, que desconhecia o negócio, tendo procurado entalar Vitor Castro, por mera coincidência marido da sua vereadora Madalena Castro e representante do município na administração do Taguspark.

«”O Taguspark podia ter associado a campanha de imagem a um leão, uma águia, um búfalo, a qualquer figura forte. Escolheu o Luís Figo e por um valor que me pareceu razoável, na ordem dos 400 mil euros”, explicou Isaltino

Pergunta: por que é que não foi escolhido um desses animais?

Resposta: Isaltino omitiu que também se pensou num dragão, contudo, para não se entrar em guerras clubísticas e animalescas a escolha recaiu no fruto da figueira.

Isaltino Morais afirmou “não se recordar” de ter tido conhecimento das negociações da empresa que gere o parque tecnológico com José Mourinho para uma campanha de promoção de imagem do Taguspark – que os arguidos invocam para demonstrar que Luís Figo não era a única hipótese para a promoção publicitária que foi preparada em 2009, para dar a conhecer o Taguspark em Portugal e no exterior.

Pergunta: ao fim de 17 anos de existência o Taguspark não era suficientemente conhecido cá dentro e lá fora?

Resposta: Sim, era. Contudo, o ‘assalto’ do PS de José Sócrates à PT, ao BCP, à TVI, entre outras, a necessidade de tudo ser feito para o PS voltar a ganhar as eleições para que os ‘esqueletos’ não saíssem do armário, aliada às ligações maçónicas dos principais intervenientes, implicava que em cumprimento da doutrina de Maquiavel ‘os fins justificam os meios’ fossem utilizados todos os meios persuasivos e financeiros para controlar a democracia eleitoral, sem esquecer o facto de Isaltino Morais ter admitido publicamente poder votar em José Sócrates (PS).

Anúncios

Este blog não censura ninguém. Critique, exponha sem ofender.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s